DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Ambiente e Ordenamento > DAO - Dissertações de mestrado >
 Avaliação do impacto do isolamento no conforto térmico de um edifício
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/685

title: Avaliação do impacto do isolamento no conforto térmico de um edifício
authors: Santos, Filipa Andreia da Costa
advisors: Samagaio, António José Barbosa
keywords: Engenharia do ambiente
Construção civil
Edifícios
Isolamento térmico
Eficiência energética
issue date: 2010
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: O conforto térmico dos edifícios é importante para que os ocupantes se sintam confortáveis termicamente e, em caso do local de trabalho, obtenham o maior rendimento possível. Como tal, o conforto térmico é caracterizado pelo índice PMV, que segundo Fanger é quantificado de -3 a +3. A percentagem de pessoas insatisfeitas com um ambiente térmico é dada por PPD. Ambos os valores estão apresentados na Norma ISO 7730. Perante isto, é importante aquando do projecto de um edifício, ter em atenção os materiais usados, o tipo de construção, a que fim se destina, para no conjunto se obter um edifício termicamente sustentável evitando o recurso a sistemas de climatização artificial e consequente poupança de energia. Deve ser cumprida a legislação existente nesta área tais como o RCCTE e o RSECE (mais importantes) para a elaboração do projecto. De forma a avaliar o conforto térmico, procedeu-se a 20 simulações no programa de computador Design Builder para diferentes zonas (4 localidades) e para diferentes soluções construtivas (5 tipos). Após as simulações, concluiu-se que as soluções construtivas mais actuais, tipo III e V, são as que obtêm um melhor índice de conforto térmico e onde as pessoas se sentem mais confortáveis, uma vez que para estes casos o PMV encontra-se entre -1 e +1, que segundo Fanger, é o intervalo de conforto térmico. Já para as soluções construtivas mais antigas (Tipo I, II) existe uma grande necessidade de aquecimento, uma vez que o PMV atinge valores de -4. ABSTRACT: The indoor thermal comfort is important so that the occupants feel comfortable and thermally in the case of the workplace, to gain the highest return possible. As such, thermal comfort is characterized by the PMV index, which according to Fanger is quantified from -3 to +3. The percentage of people dissatisfied with the thermal environment is given by PPD. Both values are presented in ISO 7730. Given this, it is important at the design stage of a building, keep in mind the materials used, type of construction, that order is intended to get together in building a sustainable thermally avoiding the use of artificial air-conditioning systems, there by saving energy. Must be complied with existing legislation in this area such as RCCTE and RSECE (more important) for the preparation of the project. In order to validate the thermal comfort was conducted over the 20 simulations in the computer program Design Builder for different areas (4 sites) and for different constructive solutions (5 types). After the simulations, it was concluded that the most constructive solutions today, type III and V, are those that obtain a better index of thermal comfort and where people feel more comfortable, since in these cases the PMV lies between -1 and +1, which according to Fanger is the range of thermal comfort. As for the oldest building solutions (Type I, II) there is a great need for heating, since the PMV reaches values of -4.
description: Mestrado em Engenharia do Ambiente
URI: http://hdl.handle.net/10773/685
appears in collectionsDAO - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
2010001607.pdf1.26 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2