DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Biologia > BIO - Dissertações de mestrado >
 Intertidal benthic macrofauna alterations due to oyster culture
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/6035

title: Intertidal benthic macrofauna alterations due to oyster culture
other titles: Alterações na comunidade bentónica intertidal resultantes da cultura das ostras
authors: Costa, Ana Raquel de Azevedo e
advisors: Quintino, Victor
Rodrigues, Ana Maria
keywords: Biologia marinha
Macrofauna bentónica: Ria de Aveiro (Portugal)
Marcadores bioquímicos
Zona entre-marés
Ostreicultura
issue date: 2011
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: O presente trabalho foi desenvolvido numa cultura intertidal de ostras, explorada na Ria de Aveiro (Noroeste de Portugal). O objectivo principal deste estudo consistiu em verificar se a referida actividade induz efeitos, na comunidade de macrofauna bentónica, devidos ao enriquecimento orgânico. A cultura de ostras na Ria de Aveiro é efectuada sobre mesas elevadas e o desenho experimental incluiu áreas de cultura sem ostras (com e sem mesas), áreas com ostras juvenis e áreas com espécimes de maiores dimensões. Os resultados obtidos mostraram que nas áreas com ostras, o sedimento superficial localizado sob as mesas apresentou teor em finos e em matéria orgânica mais elevado, com os valores mais altos de ambos os descritores verificados nas áreas com ostras de maiores dimensões. Nas áreas com ostras de menores dimensões foi também demonstrado que o sedimento superficial localizado sob as mesas de cultura apresentou teor em finos e teor em matéria orgânica mais elevados do que nos corredores entre as mesas. Estes resultados mostraram alterações associadas ao enriquecimento orgânico, sob as mesas de cultura. Os descritores da comunidade bentónica foram testados considerando como hipótese nula a não existência de diferenças significativas entre áreas com diferente enriquecimento orgânico. Os resultados obtidos mostraram que as comunidades bentónicas presentes sob as mesas apresentaram menor diversidade, verificada a partir do decréscimo da riqueza específica e abundância, comparativamente às restantes áreas amostradas. Os resultados obtidos revelaram que a comunidade de macrofauna bentónica e os índices riqueza específica (S) e abundância (A) apresentaram diferenças muito significativas entre áreas com e sem cultura de ostras. No entanto, aquando da utilização dos índices bióticos H’ (diversidade de Shannon), d (riqueza específica de Margalef), 1-λ’ (Simpson), AMBI e M-AMBI, mostrou-se não ser possível evidenciar o empobrecimento da comunidade bentónica, nomeadamente na riqueza específica e abundância, associado ao enriquecimento orgânico resultante da cultura de ostras. Deste modo, a aplicação de índices bióticos deve ser efectuada com precaução em áreas cujo enriquecimento orgânico determina um empobrecimento da macrofauna existente em detrimento de uma alteração ou substituição de espécies.

The present work was developed in an intertidal mudflat oyster farm located in Ria de Aveiro, Northwestern Portugal. The aim of this study was to assess if this practice causes organic enrichment upon the benthic community. The oyster culture in Ria de Aveiro is developed off-bottom, with oysters placed above trestles. The experimental design included farm areas where no oysters were introduced (with or without trestles), areas populated with juvenile oysters and other with larger specimens. The results showed that the superficial sediment located under the trestles in areas with oysters presented both higher fines content and organic matter, with the higher values found in areas with the culture of larger oysters. In the areas with smaller oysters, it was also shown that the superficial sediment under the trestles with oysters had a higher fines content and organic matter, in comparison with the corridors between trestles. These results showed effects associated to organic enrichment, under culture trestles. The benthic community descriptors were tested under the null hypothesis of no significant differences between areas with distinct organic enrichment. The results showed that the benthic community living under the trestles with oysters, presented less diversity, which was verified by the decreasing of both species richness and abundance, comparing with the remaining areas. The results obtained revealed that the benthic macrofauna community and the indices species richness (S) and abundance (N) showed very significant differences between areas with and without oyster culture. However, the biotic indices H’ (Shannon diversity), d (Margalef richness), 1-λ’ (Simpson), AMBI and M-AMBI failed to reject the null hypothesis revealing that these indices were not able to show the benthic community impoverishment, namely in species richness and abundance, associated to organic enrichment due to oyster culture. Therefore, special attention must be paid when using biotic indices in areas where the organic enrichment results into a macrofauna impoverishment and not into a species replacement.
description: Mestrado em Biologia Aplicada - Biologia Marinha
URI: http://hdl.handle.net/10773/6035
appears in collectionsBIO - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado
Ria - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
Ana Raquel de Azevedo e Costa.pdf1.85 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2