DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Comunicação e Arte > DECA - Dissertações de mestrado >
 Lesões por esforço repetitivo em instrumentistas de cordas friccionadas
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/3988

title: Lesões por esforço repetitivo em instrumentistas de cordas friccionadas
authors: Lima, Lúcia de Fátima Azevedo
advisors: Lã, Filipa Martins Baptista
Amaro, António José Monteiro
keywords: Música
Educação musical: Ensino superior: Portugal
Instrumentos de cordas
Técnicas instrumentais
Hábitos de estudo
Lesões: Medicina ocupacional
issue date: 2010
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: A performance musical é uma actividade neuromuscular complexa que exige elevados níveis de concentração, de controlo e precisão motoras e de resistência física e mental. Estas exigências, naturalmente também presentes noutras “actividades atléticas de alta competição”, podem constituir um factor de risco para o desenvolvimento de disfunções, como por exemplo, as do foro músculo-esquelético. Assim sendo, este estudo procura compreender a distribuição de disfunções músculoesqueléticas nos estudantes de instrumentos de cordas friccionadas que frequentam instituições de ensino superior em Portugal, tentando compreende-las num contexto de práticas e hábitos de estudo. Assim, os objectivos principais desta tese são: (i) investigar a prevalência de desconfortos músculo-esqueléticos (i.e. dor) em estudantes de instrumentos de cordas friccionadas que frequentam o ensino superior em Portugal; (ii) averiguar as práticas instrumentais e hábitos de estudo destes alunos e respectivas consequências no desenvolvimento destes desconfortos; (iii) investigar as implicações da presença destes sintomas na prática instrumental e no progresso destes alunos ao longo do seu percurso de formação superior. A fim de concretizar estes objectivos foi desenhado um questionário (adaptado do Nordic Questionnaire), focando-se em questões sobre (i) actividade instrumental, (ii) práticas instrumentais e hábitos de estudo; (iii) informação demográfica; e (iv) hábitos e estilos de vida. Este questionário foi enviado para todas as instituições de ensino superior com instrumentos de cordas friccionadas que concordaram com a participação neste estudo; assim, este foi aplicado em nove instituições do ensino superior de música em Portugal. Dos 188 questionários distribuídos nestas instituições, 81 foram reenviados com respostas válidas, alcançando-se assim uma taxa de resposta de 43,1%. Os resultados revelaram uma elevada prevalência de desconfortos músculoesqueléticos (i.e. dor) entre violetistas, violinistas e violoncelistas inquiridos, resultantes das práticas instrumentais e hábitos de estudo. Os violetistas apresentaram-se como os mais afectados por este tipo de sintomatologias associadas às lesões por esforço repetitivo (L.E.R.), tendo um Índice de Impedimento da Prática Instrumental (IIPI) de 27,22%, seguindo-se os violoncelistas (IIPI = 21,33%) e os violinistas (IIPI = 20,22%). As zonas do corpo mais afectas por desconfortos músculo-esqueléticos que levaram ao impedimento e interrupção da prática instrumental foram: (i) o pulso esquerdo, para os violetistas (IIPI = 35%) e violinistas (IIPI = 33%); e a zona superior da coluna para os violoncelistas (IIPI = 45%). O ombro esquerdo (IIPI = 31%) e o pescoço (IIPI = 30%), constituíram outras zonas com elevada prevalência de desconfortos que causaram impedimentos à performance, ambos para os violetistas, enquanto que a zona superior da coluna (IIPI = 28%) também foi indicada pelos violinistas, e a mão esquerda, pulso esquerdo e zona inferir da coluna (IIPI = 36%) para os violoncelistas. Independentemente do tipo de instrumento praticado, o pulso esquerdo destaca-se como a região do corpo significativamente afectada por desconfortos músculoesqueléticos associados às práticas instrumentais. Como possíveis causas encontradas para esta elevada incidência de distribuição de desconfortos músculo-esqueléticos que poderão ter estado na origem da interrupção da prática instrumental salientam-se: os sintomas de ansiedade apresentados por todos os alunos; os hábitos de estudo errados (como por exemplo a falta de exercícios de alongamentos antes do estudo); a ausência de consciência corporal e cinestésica; e o desconhecimento de estratégias preventivas de optimização do estudo. Conclui-se com este estudo que a prevalência de desconfortos músculo-esqueléticos em alunos de instrumentos de corda friccionada do ensino superior português em Portugal é elevada e está associada a práticas instrumentais e hábitos de estudo. Desta forma, será pertinente e urgente reflectir sobre as estratégias de ensino presentemente usadas no ensino superior de música em Portugal. Mais especificamente, seria corresponder às necessidades de formação do futuro instrumentista profissional que tem que responder às exigências de uma performance cada vez mais “perfeita”, consequente do panorama musical de competitividade e excelência que se vive no séc. XIX. Assim, propõe-se com esta dissertação um modelo holístico e interdisciplinar de ensino e de apoio ao estudante, com vista à optimização do processo de ensino-aprendizagem de um instrumentista profissional e assim da prática instrumental a longo prazo.

Musical performance is a complex neuromuscular activity that requires high levels of motor control and precision, as well as physical and mental resistance. The demanding nature of these requirements, equally needed for the performance of any other high competitive athletic activity, can constitute a risk factor for the development of muscularskeletal discomforts, such as pain. This study aims to: (i) investigate the distribution and prevalence of muscular-skeletal discomforts related to musical performance amongst students of string instruments studying at Portuguese Universities; (ii) understand the student’s instrumental and study practices in relation to the distribution and prevalence of these dysfunctions; and (iii) assess possible implications of the prevalence of these discomforts for the learning process and career development of these students. To achieve these aims a questionnaire was designed (adapted from the Nordic Questionnaire), focussing on questions about: (i) instrumental activity; (ii) instrumental practices and study habits; (iii) demographic information; and (iv) life style and living habits. This questionnaire was sent to all music departments at Portuguese Universities which had different string instrumental students and had agreed to collaborate with this study. A total of 188 questionnaires were sent to 9 Universities and 81 responses were received, giving a response rate of 43,1%. The results suggest that there is a high prevalence of muscular-skeletal discomforts (i.e. pain) related to instrumental practices and study habits amongst viola players, violinists and cellists. The viola players were the most affected students by this type of discomfort generally associated with muscular-skeletal dysfunctions, showing an impact index of performance impairment (IIPI) of 27,22%, followed by cellists (IIPI = 21,33%) and violinists (IIPI = 20,22%). The body regions most affected by the prevalence of these discomforts were: (i) the left wrist, for the viola players (IIPI = 35%) and violinists (IIPI = 33%); and the upper back for the cellists (IPPI = 45%). The left shoulder (IIPI = 31%) and the neck (IIPI = 30%) also showed a connection between prevalence of discomfort and performance impairment, both complained by the viola players, whereas the upper back (IIPI = 28%) was also indicated as an affected area by the violinists. The left hand, left wrist and lower back (IIPI = 36%) was also indicated to be affected for cellists. Finally, independently of the type of instrument, the left wrist was the body part most affected by discomforts associated with the instrumental practice. Possible explanatory causes for this high prevalence of distribution of muscular-skeletal problems that might be associated with performance impairment amongs string instruments are: the presence of anxiety in all students; incorrect study habits (e.g. lack of warming-up exercises; the lack of awareness of bodily function and biomechanics applied to the practice of an instrument; lack of information related to optimization strategies for studying and practicing. From this study one might conclude that the prevalence of muscular-skeletal discomforts amongst string instruments studying at Portuguese Universities is high, and it is associated with practicing and study habits. Therefore, it is urgent and important to questioning the learning and teaching strategies currently used in the Portuguese system of education. The musician of the XIX century is required to fulfill high levels of expectations concerning to his/her virtuous technique and effective performance, thus being exposed to constant risk factors to achieve the optimal peroformance. Thus, this work presents a proposal for an interdisciplinary and holistic approach to the teaching of instrumental practices, to provide a more efficient development of the student’s proficiency and a long career without exposure to physical and mental impairments.
description: Mestrado em Música
URI: http://hdl.handle.net/10773/3988
appears in collectionsDECA - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
Dissertação.pdf3.8 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2