DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território > CSPT - Dissertações de mestrado >
 A case study of institutional responses to internationalisation
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/3425

title: A case study of institutional responses to internationalisation
authors: Leung Sin Man, Ada
advisors: Geraldo, Teresa
keywords: Ensino superior
Ensino superior
Mudança organizacional
issue date: 2009
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: Esta investigação explora os mecanismos subjacentes ao processo de internacionalização nas instituições de ensino superior. A investigação está alicerçada nos principios da investigação qualitativa e na lógica da abordagem indutiva. A Universidade de Hong Kong (UHK) foi seleccionada como estudo de caso tendo a entrevista semi-estruturada sido utilizada como meio para obter as percepções dos actores institucionais chave relativas ás mudanças actuais nos processos e nas actividades de internacionalização bem como nos mecanismos que sustentam estas mudanças. Na primeira parte desta investigação procede-se a uma revisão da literatura e análise do conceito de internacionalização e da teoria de mudança organizacional. Com base na teoria do institucionalismo, diferentes mecanismos são identificados como relevantes na explicação do processo de internacionalização nas universidades. A segunda parte diz respeito a apresentação dos resultados da análise dos dados. A investigação revela-nos que a internacionalização está a ser activamente desenvolvida na UHK com mudanças importantes identificadas nos últimos anos. Apesar da análise documental das políticas governamentais revelar alguma influência nas actividades e processos de internacionalização na UHK, os actores institucionais percepcionam o papel do governo como limitativo, demonstrando que as forças coercivas não constituem o único elemento capaz de estimular estes processos. Em face das tendências de internacionalização e globalização, as instituições de ensino superior procuram respostas através da busca do (re)posicionamento e da comparabilidade. Mecanismos como a comparabilidade, o posicionamento, a criação de uma dada imagem e a reputação são importantes elementos miméticos que exercem pressões sobre as universidades no sentido da internacionalização. Não se limitando a receber estas pressões e exigências de forma passiva, os actores institucionais interpretam-nas, antes, de acordo com a história, cultura e valores da própria instituição. Mais importante ainda, a universidade é em si mesmo uma organização internacional cujas actividades se desenvolvem além fronteiras. A internacionalização é para a universidade não apenas o resultado de pressões externas mas, igualmente, uma necessidade interna e um fim em si mesmo. Na ultima parte desta tese são expostas as limitações da presente investigação e apresentadas recomendações para investigações futuras. ABSTRACT: This research explores the mechanisms which underlie the process of internationalisation in higher education institutions. The overall research design stands strictly on the principles of qualitative research and the logic of deductive-inductive reasoning. The University of Hong Kong (HKU) is selected as a case study and interviews are used to gather the perceptions of key institutional actors on the current changes in internationalisation activities and the mechanisms underlying such changes. In the first part of this research, a literature review and analysis on the concept of internationalisation and theory of organisational change was conducted. Based on the institutional theory, different mechanisms emerged as relevant to explain the internationalisation processes in universities. The second part of the research is the presentation of fieldwork findings which reveal that internationalisation is taking place actively and rigorously in HKU, and changes in such activities in recent years are obvious. Though reviews and analyses of government policies show that they affect the activities and process of internationalisation in HKU, institutional actors perceive the role of government is limited and coercive force is not the only factor leading to internationalisation. In face of globalisation and internationalisation trend, higher education institutions alço respond by positioning and benchmarking themselves. In addition, ranking, branding and reputation are exerting mimetic pressures on universities to internationalise. Instead of responding to all the pressures and demands passively, institutional actors interpret and screen through thern in accordance with the history, culture, tradition, norms and values of the institution. Most important of all, university is itself an international organisation with activities stretching across boundaries. To them, internationalisation is not only a means to react to externa1 pressure but also an intrinsic need and end in itself. Therefore, internationalisation is the result of the interplay of coercive, mimetic and normative forces, and changes in the regulative, cultural-cognitive and normative pillars of the University. In the last part of the thesis, significance and limitations of this research are presented, and recommendations for future research are offered.
description: Mestrado em Ensino Superior (Erasmus Mundus)
URI: http://hdl.handle.net/10773/3425
appears in collectionsCSPT - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

files in this item

file sizeformat
2010000517.pdf1.74 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2