DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Química > DQ - Dissertações de mestrado >
 Qualidade microbiológica e química das águas de consumo humano do distrito de Bragança
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/3090

title: Qualidade microbiológica e química das águas de consumo humano do distrito de Bragança
authors: Nogueira, António José Madeira
advisors: Almeida, Adelaide de
Giraldo, Ivonne Delgadillo
keywords: Química dos alimentos
Consumode água
Qualidade da água
Contaminantes
issue date: 2007
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: A água constitui um recurso essencial à vida, é um factor indispensável à sobrevivência de todos os seres vivos. As doenças relacionadas com a contaminação da água de consumo humano são muito importantes para a saúde pública. Deste modo, é importante avaliar sistematicamente as condições ambientais nas áreas de captação e a sua acção na contaminação microbiológica. A qualidade microbiológica das águas de consumo humano do Distrito de Bragança foi avaliada entre 1996 e 2005. A classificação das águas de consumo humano analisadas neste período baseou-se no Decreto-Lei n.º 74/1990, de 7 de Março, que foi revogado pelo Decreto-Lei n.º 236/1998 de 1 de Agosto, não se tendo verificado alterações nos parâmetros estudados. A partir de 2004, a classificação das águas seguiu o Decreto-Lei n.º 243/2001, de 5 de Setembro. Das análises microbiológicas realizadas (21630 análises), 8225 (38,03%) foram classificadas como impróprias, 7169 (33,14%) como potáveis, 2056 (9,51%) como superior ao valor máximo recomendável, 2770 (12,81%) como conformes e 1410 (6,52%) como não conformes. De todas as análises microbiológicas realizadas, 10490 (48,5%) foram a águas tratadas e 11140 (51,5%) a águas não tratadas. Do total das tratadas, 7782 (74,2%) foram classificadas como conformes e 2708 (25,8%) como não conformes. Das águas não tratadas, 4213 (37,8%) foram classificadas como conformes e 6927 (62,2%) como não conformes. Apenas em três dos doze concelhos estudados, Mogadouro, Macedo de Cavaleiros e Alfândega da Fé, foi verificado uma percentagem de águas em não conformidade acima dos 50%. O Concelho de Mogadouro foi o que apresentou as águas de consumo humano com pior qualidade microbiológica (62,3% do total das águas analisadas foram consideradas impróprias para consumo). O Concelho de Freixo de Espada à Cinta foi o que apresentou o maior número de águas em conformidade (73,5% das águas foram consideradas conformes). A qualidade química das águas de consumo foi avaliada entre 2003 e 2005. Do total de amostras analisadas (2692), 2549 (cerca de 95%) foram classificadas de acordo com o Decreto-Lei n.º 243/2001 e apenas 143 segundo o Decreto-Lei n.º 236/1998. Dezanove (0,7%) águas foram classificadas como impróprias, 1841 (68,4%) como potáveis, 518 (19,2%) como água agressiva para as canalizações e 314 (11,7%) como valor superior ao Valor Paramétrico. Do total das análises, 1832 (68,1%) foram efectuadas a águas tratadas e 860 (31,9%) a águas não tratadas. Os contaminantes indesejáveis também só foram detectados entre 2003 e 2005. Neste período foram realizadas 278 análises. A concentração de cádmio, chumbo, cianetos e trialometanos nunca ultrapassaram o Valor Paramétrico. O alumínio e o arsénio ultrapassaram o Valor Paramétrico em 58 % e 23 % das amostras analisadas, respectivamente. Das variáveis químicas estudadas o pH, os nitratos e o flúor foram as que mais se correlacionaram (p < 0,05) com os parâmetros microbiológicos. Não foi possível, no entanto, avaliar que percentagem de variação dos parâmetros microbiológicos é que foi explicada por estas variáveis químicas, através da regressão linear tipo stepwise. Embora a qualidade microbiológica das águas de consumo do Distrito de Bragança tenha melhorado ao longo do período de estudo, o tratamento destas águas não foi totalmente eficaz. A percentagem de águas de consumo impróprias após tratamento foi muito elevada (25%). Qualquer água tratada deveria obrigatoriamente ser potável, pois caso contrário, o tratamento não obedeceu aos métodos e processos técnicos adequados. ABSTRACT: The water constitutes an essential resource to life, it is an indispensable factor to the survival of all forms of life. The illnesses related to the contamination of the water of human consumption are very important to public health. In this way, it is important to evaluate the ambient conditions in the areas of captation and its action in the microbiological contamination. The microbiological quality of waters of human consumption of the District of Bragança was evaluated between 1996 and 2005. The classification of analyzed waters in this period was based on the Decree n.º 74/1990, of 7 of March, which was revoked by the Decree n.º 236/1998 of 1 of August, not having been verified alterations in the studied parameters. From 2004, the classification of waters followed the Decree n.º 243/2001, of 5 of September. Of the carried through microbiological analyses (21630 analyses), 8225 (38.03%) had been classified as improper, 7169 (33.14%) as potable ones, 2056 (9.51%) as over the recommendable maximum value, 2770 (12.81%) as in agreement and 1410 (6.52%) as not in agreement ones. Of all the carried through microbiological analyses, 10490 (48.5%) had been the treated waters and 11140 (51.5%) the waters not treated. From all treated waters, 7782 (74.2%) had been classified as in agreement and 2708 (25.8%) as not in agreement. From all waters not treated, 4213 (37.8%) had been classified as in agreement and 6927 (62.2%) as not in agreement. Only in three of the twelve regions studied, Mogadouro, Macedo de Cavaleiros and Alfândega da Fé, a water percentage was verified in not conformity above 50%. Mogadouro presented waters of human consumption with worse microbiological quality (62.3% of the total of analyzed waters had been considered improper for consumption). Freixo de Espada à Cinta presented the biggest number of water in conformity (73.5% of waters had been considered appropriate regarding the legal demanding). The chemical quality of consumption waters was evaluated between 2003 and 2005. The total of analyzed samples (2692), 2549 (about 95%) had been classified in accordance with Decree n.º 243/2001 and only 143 according to Decree n.º 236/1998. Nineteen (0.7%) waters had been classified as improper, 1841 (68.4%) as potable, 518 (19.2%) as aggressive water for the plumbing and 314 (11.7%) as over Parametric Value. From the total of the analyses, 1832 (68.1%) was carried though treated waters and 860 (31.9%) to waters not treated. The contaminant undesirable also alone had been detected between 2003 and 2005. In this period, 278 analyses had been carried through. The concentration of cadmium, lead, cyanide and trihalomethanes had never exceeded the Parametric Value. The aluminium and the arsenic had exceeded the Parametric Value in 58% and 23% of the analyzed samples, respectively. From all the chemical variable studied the pH, the nitrates and the fluorine had been the ones that had been more correlated (p < 0,05) with the microbiological parameters. It was not possible, however, to evaluate that percentage of variation of the microbiological parameters that was explained by these chemical variables, through the linear regression type stepwise. Although the microbiological quality of potable water in Bragança District has improved throughout the period of study, the treatment of these waters was not sufficient. The raise on consumption of improper water after the treatment was very high (25%). All treated water should be potable otherwise the treatment was not made according to the right methods and adequate technical processes.
description: Mestrado em Química e Qualidade dos Alimentos
URI: http://hdl.handle.net/10773/3090
appears in collectionsDQ - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

files in this item

file sizeformat
2009001111.pdf869.72 kBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2