DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Economia, Gestão e Engenharia Industrial > DEGEI - Dissertações de mestrado >
 Cidades e territórios do conhecimento : contribuição para o desenvolvimento de uma teoria
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/1611

title: Cidades e territórios do conhecimento : contribuição para o desenvolvimento de uma teoria
authors: Ramos, Joana Marisa da Cruz Martins
advisors: Santana, Silvina Maria Vagos
keywords: Gestão do conhecimento
Sociedade de informação
Planeamento do território
Desenvolvimento urbano
issue date: 2008
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: No passado, as regiões concorriam entre si para a construção de grandes infra-estruturas físicas, que a seu ver as tornariam competitivas face a outras. A prosperidade dos territórios passava pela sua atractividade para a instalação de negócios e consequente criação de empregos. Hoje em dia, o sucesso de indivíduos, organizações ou territórios depende da mobilização de activos intangíveis. Ao entrarem eles próprios na era do conhecimento, os territórios não estão a fazer mais do que responder à economia electrónica que se instalou há muito no planeta e que é reconhecida e reforçada por opções estratégicas tomadas pelos Estados, individualmente ou de forma concertada. A reformulação da Estratégia de Lisboa abriu uma janela de oportunidade para o desenvolvimento das metrópoles europeias baseadas na economia do conhecimento. As organizações com fins lucrativos há já algum tempo que vêm pondo em prática um novo estilo de gestão, baseada nos chamados activos intangíveis, como por exemplo o capital humano. Mas as organizações são sistemas abertos e, por isso, a progressão interna do conhecimento alimenta-se constantemente do conhecimento externo disponível no meio envolvente, em clientes, fornecedores, concorrentes e sociedade em geral. Ao processo anterior junta-se, assim, a captação, absorção e integração do conhecimento externo. O conhecimento é um recurso indispensável à inovação e esta é o sustento das vantagens competitivas numa época em que os ciclos de inovação são cada vez mas curtos. Desta forma, o conhecimento torna-se estratégico para a sobrevivência da sociedade em geral e dos territórios em particular e é necessário geri-lo também a este nível. Na presente dissertação, discute-se a aplicabilidade do conceito de gestão do conhecimento ao território. Pretende-se investigar se nos modelos conhecidos de gestão do conhecimento ao nível territorial existe uma abordagem multinível e se é visível uma estrutura de cadeia de operações no processo de gestão de conhecimento. Concluímos que o território é uma rede viva, cuja matéria-prima essencial é o indivíduo, uma vez que é nestes que reside o conhecimento, a verdadeira mola propulsora do território. Os modelos disponíveis no presente ainda estão mais orientados para a mensuração, passo essencial para aferir qual o nível de conhecimento que os territórios detêm na actualidade. Depreende-se ser esta uma área de investigação muito promissora e realmente desafiante, não só pela riqueza das temáticas envolvidas mas, sobretudo, pelos resultados que poderá permitir alcançar: o bem-estar de todos os envolvidos ABSTRACT: In the past, the regions compete among themselves for the construction of large physical infrastructure, which in their eyes would make them competitive against the other. The prosperity of the territories passed by its attractiveness for the installation of business and consequent job creation. Nowadays, the success of individuals, organizations or territories depends on mobilisation of intangible assets. By entering themselves in the era of knowledge, the territories aren’t doing more than responding to the electronic economy that is installed long ago on the planet and that is recognized and strengthened by strategic choices made by states, individually or in a concerted manner. The recasting of the Lisbon Strategy opened a window of opportunity for the development of European metropolises based on the knowledge economy. In recente past, profit organisations started to put into practice, a new management style, based on, essentially, in so-called intangible assets, such as human capital. But organisations are open systems and therefore the internal advancement of knowledge is constantly fed by the knowledge available in the external environment, customers, suppliers, competitors and society in general. To the previous process join, therefore, the capture, absorption and integration of external knowledge. Knowledge is an indispensable resource for innovation and this is the livelihood of competitive advantage at a time when the cycles of innovation are increasingly short. Thus, the knowledge becomes strategic to the survival of society in general and of the territories in particular and it is necessary to manage him well also at this level. This dissertation, discusses the applicability of the concept of knowledge management to the territory. The aim is to investigate if in the known models of knowledge management at territorial level there is a multi-level approach and if is visible a chain operations structure in the management of knowledge. We concluded that the territory is a alive network, whose raw material is essentially the individual, since it is in these that knowledge resides, the real propulsion spring of the territory. The models available at present are still more geared to the measurement essential step to ascertain at what level of knowledge the territories is at present. It is this as a very promising area of research and really challenging, not only for the wealth of thematic involved, but above all the results that can achieve: the welfare of all involved
description: Mestrado em Gestão de Operações
URI: http://hdl.handle.net/10773/1611
appears in collectionsDEGEI - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
2009000292.pdf1.16 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2